Header Ads

Rurouni Kenshin

Himura Kenshin tenta fugir de seu passado como retalhador, mas seus inimigos estão dispostos a se vingarem de acontecimentos do passado.

Outros Nomes: Samurai X
Mídia: mangá
Publicação: 1994 - 1999
Volumes: 28
Autor: Nobuhiro Watasuki

Demografia: shounen
Gêneros: Ação, aventura, histórico, drama

Sinopse: Himura Kenshin é um andarilho com o passado obscuro que tenta esconder a todo custo. Durante a restauração Meiji, ele não era um simples samurai, e sim o assassino mais habilidoso do império, conhecido como Battousai. Quando a revolução enfim conquistou o poder, ele apenas sumiu, jurando nunca mais matar ninguém. Dez anos depois, Kenshin se encontra em Tóquio, onde conhece a jovem Kamiya Kaoru, dona de um dojo e que segue uma filosofia de vida muito diferente da do ex-retalhador. Juntos precisaram enfrentar vários inimgos que cruzaram o passado de Kenshin.

Kaoru, Kenshin, Sano e Yahiko
Comentários: Rurouni Kenshin é quase um marco quando se trata de histórias de samurai. Misturando muitos conceitos históricos com fantasia, Watasuki cria com maestria um dos melhores shounen sobre o tema.

Apesar do foco na ação, o mangá equilibra habilmente drama e romance, contextualizado todas as ações e dando foco aos personagens, de forma que, embora Kenshin seja o protagonista, nem de longe ele é a única estrela sob os holofotes.

Os personagens são carismáticos e bem construídos, principalmente a partir do arco da Juppongatana, a profundidade dos personagens aumenta, assim como suas motivações e a importância de suas ideologias.

As lutas são empolgantes e intensas e muito bem desenhadas. O traço de Watasuki melhora muito com o desenrolar do mangá, assim como o desenvolvimento dos personagens e suas ligações com fatos que realmente aconteceram.

A saga que conclui a obra é muito boa, principalmente por elucidar muito do passado de Kenshin como retalhador e seu envolvimento com Tomoe. Talvez o finalzinho, tenha sido bem clichê, mas não diminui a qualidade da obra.
Saito, Shishio, Kenshin e Sano

Vale a pena? Sim, é uma obra praticamente obrigatória para quem gosta de obras com samurais.

Onde encontrar: O mangá foi licenciado pela JBC.

Shishio e os espadas da Juppongatana

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.