Header Ads

Sukisho

Sora não tem lembrança alguma de seu passado, mas tenta reatar laços com Sunao, que todos dizem ser seu melhor amigo, mas Sunao parece ter outros interesses além da amizade.

Outros Nomes: Sukisyo/ Suki na Mono wa Suki Dakara Shōganai!!
Mídia: anime
Exibição: 2005
Episódios: 12 + 1 OVA
Estúdio: Zexcs
Demografia: Yaoi/Shounen-ai
Gêneros: Psicológico, Drama, Escolar, Romance

Sinopse: Hashiba Sora é um garoto comum que passou muito tempo hospitalizado após cair de uma janela no quarto andar de sua escola. Apesar de não ter se ferido gravemente, Sora perdeu todas as lembranças de sua infância e por isso quando finalmente retorna sua vida, não consegue se lembrar de Fujimori Sunao, seu amigo de infância com quem passará a dividir o quarto no dormitório. Mesmo sendo amigos, a relação entre eles é fria e distante, mas tudo muda quando, certa noite, Sunao tenta beijar Sora, alegando que ele, na verdade, é Ran e que está a procura de Yoru.

Comentários: Sukisho foi um dos primeiros animes yaoi que tive contato e achei a história por trás dos personagens bastante interessante. O foco não fica só no romance/pegação, tendo toda uma trama bem elaborada por trás das ações dos personagens.
Sora. Sunao. Matsuri, Nanami e Shinichirou

Sora é o típico personagem bobo que só pensa em comida e embora diga não gostar do Fujimori, está sempre preocupado com seu bem estar. Já Sunao é o cabeça quente, que sai resolvendo as coisas na base da porrada e que amarga o fato de Sora não se lembrar dele.

Com o desenrolar da série, o foco vai para o relacionamento de Ran e Yoru, as segundas personalidades de Sunao e Sora. Enquanto Sunao tem total consciência da existência de Ran, Sora não compartilha da mesma integração com Yoru, o que o coloca em várias cenas constrangedoras. Achei bem interessante toda a trama por trás da existência de Ran e Yoru, que é desenvolvida bem lentamente, apenas para deixar o expectador criar sua própria teoria sobre a existência deles.

O traço é competente, mas não dos mais bonitos. Os personagens, de forma geral, são bem carismáticos e explorados. Minha única reclamação vai para o personagem do Nanami-sensei. Gente, demorei vários capítulos para me convencer que aquilo não era uma mulher. Ficou estereotipado demais, sem falar que consegue tomar as atitudes mais irritantes a hora que os problemas começaram realmente a ficar sérios.

Vale a pena? Sim, para quem gosta do gênero é uma boa pedida. Talvez devesse ter tido mais foco nas experiências de controle de personalidade, seria interessante ver como Yoru e Ran realmente passaram a existir e não apenas ser contado por alto.

Onde encontrar: Pode ser encontrado online.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.