Header Ads

1 Litro de Lágrimas

Aya é uma adolescente comum, cheia de sonhos, mas descobre que tem uma doença incurável e que sua vida nunca mais será como antes. 

Outros Nomes: 1 Litre of Tears, Ichi Rittoru no Namida
Mídia: J-drama
Exibição: 2005
Episódios: 11
Demografia: josei
Gêneros: Drama, cotidiano

Sinopse: Ikeuchi Aya (Sawajiri Erika) é uma menina de 15 anos, filha de uma família simples que possui uma loja de tofu. Entretanto, a vida de Aya vai, aos poucos, mudando, quando ela passa a cair frequentemente. Sua mãe, Shioka (Yakushimaru Hiroko), por precaução, leva a garota ao médico e descobre que ela possuio degeneração espinocerebelar, uma doença rara e incurável que deteriora o cérebro. A partir dai, começa a luta da família na tentativa de encontrar uma cura para a garota.

Família Ikeuchi e Aya no começo da doença
Comentários: Achei a história fantástica. Admito que não sou fã de tramas onde um dos personagens está doente e vai morrer. Sei que é baseado em uma história real, e tudo que Aya e sua família passaram não deve ter sido nada fácil, mas geralmente adaptações sempre romanceiam tudo, fazendo um dramalhão chato e desnecessário, com lições de vida plastificadas que não tocam ninguém. Mas 1LDL é bem diferente.

As interpretações estão bem conviventes, o roteiro é bem amarrado e focado na luta da família Ikeuchi em tentar salvar Aya e posteriormente, em tornar sua vida o mais cômoda possível. É bem interessante ver como a menina convivia com a progressão da doença e oscilava entre aceitar sua situação e cair em desespero: logo após ser forte e dizer que quer viver o máximo possível ao lado dos amigos, ela tem uma crise de choro por se achar inútil. Essas pontuações tornam a personagem mais humana, fazendo que suas emoções sejam tangíveis.

Os questionamentos que faz sobre sua vida, sua situação e coisas comuns do cotidiano, que não dava a menor atenção antes de saber da doença, são inteligentes e tocantes. 

Aya e Haruto (Nishikido Ryo): pouco antes de uma das
cenas mais tristes do dorama.
Vários pontos para a atriz Yakushimaru Hiroko, que interpreta a mãe da menina. Ela consegue ao mesmo tempo, mostrar o desespero, esperança e motivação. Ela é o ponto de apoio de Aya, quem a sustenta, anima, consola, quem está ao seu lado em todas as quedas e que tenta desesperadamente dar uma vida normal a filha. Outro destaque fica para Nishikido Ryo, que faz o “namoradinho” de Aya. O relacionamento entre eles nunca é explícito, eles ficam numa valsa, girando em torno um do outro, buscando uma maneira de se aproximarem, mas as dificuldades e solidão de cada um acabam tornando um amor de “porcos-espinhos”.

Chorei horrores em várias passagens, muito mais do que um litro. É ao mesmo tempo tocante e amargo, que te faz questionar a própria vida, vendo os esforços de Aya ao se agarrar no resto de sua vida. Tem uma frase que ela que diz quando percebe que sua vida mudou completamente e que sempre me arrepia: O eu de ontem já não existe mais.

Vale a pena? Sim, a história é linda e profunda. É uma emocionante e tocante, é meu dorama preferido.

Onde encontrar: Pode ser encontrado online.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.