Header Ads

Nabari no Ou

O garoto carrega um poder imensurável dentro de si, mas não se importa com isso. Entretanto, vários clãs ninjas estão atrás de seu poder.
Mídia: anime
Exibição: 2008
Episódios: 26
Estúdio: J.C. Staff
Demografia: Shounen
Gêneros: Drama, Ação, Artes Marciais, Aventura

Sinopse: Rokujo Miharu é um garoto comum que descobre carregar a Shinra Banshou, uma espécie de livro que traz todo o conhecimento do mundo, representado na forma de uma mulher, dentro de si, mas ele não tem habilidade nenhuma para controlá-lo. Assim, vários grupos ninjas passam a disputá-lo, com objetivos diferentes: Bantem quer protege-lo, Fuuma remover e selar o poder e Iga utilizar o poder em benefício próprio.
Raimei, Tohbari, Miharu e Aizawa.

Comentários: A sinopse lembra um pouco Naruto (ninjas, protagonista com o grande poder aprisionado), e provavelmente houve grande influência, mas as histórias são muito diferentes. Nabari tem menos lutas, mas uma carga dramática maior. A história se passa no mundo real e tenta trazer os ninjas para os dias atuais, ou seja, eles precisam trabalhar, frequentar o colégio, fazer coisas comuns.

Uma das coisas que mais no mangá é que não existe o lado bom e o lado mau, a autora tenta mostrar todos os lados da forma mais imparcial possível e deixa nas mãos do leitor escolher quem está certo, entretanto na animação, isso não ficou tão sutil. É possível perceber que a animação inclina o tempo todo para fazer o espectador acreditar que Iga são os vilões.

Miharu é um dos protagonistas mais frios e antipáticos que já vi. Ele não tem habilidades ninjas e é jogado no meio do tumulto sem saber o que tem dentro dele. Mesmo após descobrir a verdade sobre a Shinra Banshou, ele parece não se importar com sua situação e só realmente se dedica a aprender sobre si mesmo quando conhece Yoite.

Yoite pertence a Iga, um dos vilarejos ninja que desejam os poderes de Miharu e tem poderes que consomem sua força vital. Esse dom foi dado a ele sem que ele realmente pudesse escolher, de forma que ver sua vida escoar cada vez que entra em combate o apavora. Os dois passam a se identificar e fazem um acordo paralelo, onde Miharu deveria usar seus poderes para eliminar a existência de Yoite.
Miharu e Yoite.

A relação entre os dois é conturbada e delicada e é responsável por fazer boa parte da história andar. Os outros personagens que cercam a dupla possuem histórias densas e profundas, como a relação entre os irmãos Raimei e Raikou, o passado de Tobari, professor de Miharu e que faz de tudo para protege-lo e poupá-lo, e as motivações de Aizawa, amigo de Raimei e Miharu. Embora o anime aborde todos eles, a carga dramática e motivações não é tão intensa.

Como acontece com muitos animes, eles acabam colando no mangá e tendo um desenvolvimento diferente do homônimo em papel. Com Nabari no Ou não é diferente e é possível ver como as duas mídias se distanciam.

Muitos personagens têm ações completamente diferentes e desenvolvimentos que vão totalmente contra o que suas contrapartes fazem no mangá. O que me fez desgostar um pouco do final, principalmente com as ações do Raikou, que vai contra tudo o que ele defendeu ao longo do anime.O final Miharu/Yoite é delicado e sentimental, mas sem toda a carga dramática de culpa que o mangá carrega. Eu diria que é mais agridoce, e mesmo sendo mais triste que a versão mangá, ainda consegue te deixar menos angustiado.
Miharu e Shinra Banshou.

O anime tem uma qualidade competente, mas o traço é muito carregado. A abertura é bonita, mas simples. O anime possui mais combates, mas eles não empolgam, os personagens parecem menos complexos e as motivações mais vazias, tudo por causa das mudanças no final da trama.

Por que ver? Premissa interessante, personagens profundos, carga dramática.

Por que não ver? Poucas cenas de ação, excesso de bromance (eu gosto, mas há quem não curta ainda mais em um shounen), mudanças relevantes com o contexto do mangá que dão outra perspectiva a história.

Onde encontrar: Pode ser encontrado online.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.