Header Ads

Second Love

Kei é um dançario sem perspectiva que perdeu todo o prazer pela vida, isso até conhecer Yui, que muda sua forma de agir e pensar.
Mídia: j-drama
Exibição: 2015
Episódios: 7
Demografia: josei
Gêneros: Drama, Romance

Sinopse: Kei (Kamenashi Kazuya) é um dançarino que depois de viver seu auge dançando na Alemanha, é demitido da companhia a que pertencia e não consegue se encaixar em local algum em seu retorno ao Japão. Já Yui (Fukada Kyoko) é uma professora frustrada que ainda vive com a mãe e se mantém como amante de um dos seus colegas de trabalho. Certo dia, Kei avista Yui na varanda da escola e se apaixona a primeira vista.
Uma das minhas cenas preferidas.

Comentários: Logo de cara desanimei porque a Yui tinha um caso com um professor bem mais velho que ela (e feio ainda), mas então Kei e Yui já se beijam e vão para a cama no primeiro episódio e isso me animou. Achei que estava vendo um dorama diferente, sem muita enrolação e mimimi para o romance, aonde vão uns vinte capítulos só para pegar na mão.

Só que no fim, Second Love oscila muito entre entregar cenas ótimas e outras de pura vergonha alheia. O elo que une Kei e Yui é muito fraco, algo como para amenizar as frustrações que carregam na vida. Só que eu esperava que esse elo se fortalecesse e isso não acontece.

Kei está com ela como uma maneira de superar sua desilusão com a dança, jura amor eterno, a faz largar do amante e a convence a sair de casa para morar com ele, mas quando sua carreira volta a deslanchar, ele a coloca completamente de lado. Ignorando ligações e fazendo-a passar por situações ridículas e deprimentes.

Existe uma diferença de idade entre eles, sendo Yui mais velha, mas fora um comentário da mãe dela, isso passa totalmente despercebido na série e nem serve de agravante para esse distanciamento.

Por mais que eu não goste do professor, o sentimento dele pela Yui parece mais palpável e sincero, já que ele não se separa da esposa para ficar com ela por puro comodismo e não porque a veja apenas como diversão.

Fora isso, o dorama ainda peca em trazer uma subtrama de uma aluna. Na verdade, é bem interessante, mas seja pelo número reduzido de capítulos ou por não ter recebido foco suficiente, no final, ficou parecendo algo apenas jogado na história, sem proposito algum.

O final é bem clichê, daqueles que não é nem triste nem feliz. Meio morno e esperado, Kei consegue uma meia redenção (ao menos comigo), mas ainda me incomoda que tudo seja resolvido tão rápido.
Por que ver? O romance está mais desenvolvido, temáticas sem muito drama desnecessário.

Por que não ver? O desenvolvimento de Kei é bastante desanimador e mesmo sendo o protagonista, tem horas que não dá para torcer por ele.

Onde encontrar: Pode ser encontrado online.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.