Header Ads

CardCaptor Sakura

A garota encontra um livro mágico em sua casa, mas não imagina a confusão que isso tornaria sua vida.
Mídia: mangá
Ano de Publicação: 1996 - 2000
Volumes: 12
Autor: Clamp
Demografia: Shoujo
Gêneros: Escolar, Fantasia, Comédia, Romance

Sinopse: Kinomoto Sakura é uma garota comum que encontra um estranho livro intitulado The Clow na biblioteca de casa. Após mexer no livro, encontra dentro dele uma estranha carta de baralho, com a inscrição vento. Ao ler a inscrição, uma lufada de vento invade o local, espalhando todas as outras cartas que estavam no livro, algumas inclusive, se perdendo pela janela. Depois disso, um bicho misterioso, intitulado Kerberos, surge dizendo a Sakura que ela é a nova cardcaptor e tem a função de recuperar todas as cartas e guardá-las no livro.

Comentários: Poucos mahou shoujo são tão delicados, meigos e fofos. Não que mahou não sejam, mas CCS exagera no açúcar. Tudo tem uma estética alegre, acolhedora e divertida, mesmo os momentos tristes não são tão carregados. Sakura é uma das personagens mais fofas, ingênuas e doces que você encontrará em qualquer história. Ela tem um lado atrapalhado que acaba acentuando ainda mais o lado alegre da heroína.

A história é simples, com a jovem tentando reencontrar as cartas e tentando sair de situações bizarras que os poderes das cartas acabam por colocá-la. Os personagens secundários também são de doces e delicados, até mesmo Syaoran, que surge como rival, acaba mais ajudando a cardcaptor do que atrapalhando.

Geralmente, os mangás são melhores do que as animações, mas CCS foge dessa regra. O anime consegue intensificar o lado delicado e fofo do mangá, deixando tudo ainda mais suave, Além disso, o anime ganha muitos pontos ao colocar mais cards para que ela capture. A história do mangá acaba ficando muito sucinta e voltada totalmente para os acontecimentos ligados a Sakura, assim os amigos, família e rivais acabam tendo pouco destaque.

Um dos pontos negativos, que é o mesmo do anime, é que a história não tem vilões realmente. Mesmo aqueles que aparecem para ficar no caminho da menina, acabam por ajudá-la, assim, ela acaba sempre resolvendo o problema e nunca sofrendo nenhum grande trauma. Até mesmo o clima de mistério que alguns personagens criam, como a professora Mizuki ou Eriol, são facilmente diluídos.

Apesar disso, a arte impressiona, os personagens são carismáticos e as cartas têm poderes muito interessantes. É uma pena que o mangá seja tão curto, muitas coisas que são apresentadas no anime ficariam bem interessantes no mangá.

Talvez uma das questões mais polêmicas na história seja a maneira como os romances se desenvolvem. Embora não seja o foco principal, ele aparece e para vários personagens. Desde a paixão platônica de Sakura por Yukito (melhor amigo do irmão da garota), até a obsessão que Tomoyo tem por Sakura ou a relação estranha entre Touya e Yukito. Mas nada supera a relação entre Rika e o professor Terada. Ela tem aproximadamente dez anos e o relacionamento é explícito, ele até dá um anel de noivado para ela no final da série. Pedofilia mandou um olá. Talvez a relação mais normal seja entre Syaoran e Sakura, que passam a nutrir sentimentos um pelo outro gradualmente. Não me lembro se no anime isso é mostrado explicitamente, mas no mangá é bem direto.
Tomoyo, Sakura, Kero, Eriol, Syoran e Spinel Sun.
Por que ler? Clamp sempre vale a pena, a história é doce, os personagens são interessantes e as presepadas de Sakura sempre rendem boas risadas (ou a rivalidade entre Kero e Lee).

Por que não ler? Se você acompanhou o anime primeiro, pode achar a história não tão complexa.

Onde encontrar: O mangá foi licenciado pela JBC e pode ser encontrado em duas versões diferentes.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.